Suspensão

ITENS QUE COMPÕEM SUSPENSÃO DO VEICULO

 

 

Amortecedores são os principais componentes do conjunto de suspensão

Pivôs possibilitam a articulação da roda e sustentam o peso de todo o sistema de suspensão O que também compõem o sistema é a bandeja (ou braço). Ela liga a roda ao chassi através de buchas e pivôs, sendo também responsável pela estabilidade e pelo conforto, por determinar o alinhamento das rodas e por permitir os movimentos verticais da suspensão. Deve ser trocada quando estiver quebrada, torta, empenada ou apresentar buchas com folgas e alojamento do pivô danificado.

 

Outros elementos, como já adiantamos, são o pivô e a bucha. O primeiro possibilita a articulação da roda e sustenta o peso do conjunto todo. Deve ser substituído se apresentar folga ou estiver com a coifa rasgada. Já a bucha é responsável por ligar os componentes móveis da suspensão à carroceria, para lhe garantir livre movimentação. Também deve ser trocada quando estiver com folga e ainda se contaminada com óleo, rachada ou ressecada.

 

O rolamento de roda, por sua vez, é composto de um conjunto de rolos ou esferas que aliviam o atrito ao rodar, proporcionando menos esforço no deslizamento. Sua troca é recomendada quando estiver com folga, não permitindo ajustes, ou danificada e se apresentar ruído. As juntas homocinéticas, por sua vez, têm a função de transmitir a força do motor (torque) às rodas do modelo, mesmo nas curvas e nas irregularidades dos terrenos, e precisam ser trocadas em caso de ruídos de atrito metálico e estalos.

 

Por fim, há a barra estabilizadora (mantém a estabilidade), a bieleta (faz a ligação da barra estabilizadora com a carroceria) e o coxim (liga o conjunto mola/amortecedor à carroceria). Todos eles exigem a colocação de peças novas se estiverem quebrados amassados e com folga ou ruídos.

É fundamental destacar que, para proporcionar segurança e conforto aos passageiros e ao motorista, todo estes componentes precisam funcionar de modo sincronizado e correto.

 

 

O AMORTECEDOR

 

A estabilidade, conforto e segurança ficam diretamente comprometidos  se os amortecedores não estiverem atuando corretamente. Isso é verificado pela dificuldade no controle do veículo em curvas, freadas, pulos descontrolados das rodas e desgaste prematuro ou irregular dos pneus e demais componentes da suspensão.

Portanto, é importante a verificação periódica dos amortecedores, bem como dos demais componentes da suspensão, sempre que o veículo passar por uma revisão.

 

O AMORTECEDOR TEM TRÊS FUNÇÕES BÁSICAS DISTINTAS:

 

Manter o contato dos pneus com o solo.

Controlar os movimentos de abertura e fechamento das molas.

Proporcionar conforto, estabilidade e segurança ao veículo.

 

 

AS FUNÇÕES BÁSICAS DO AMORTECEDOR CONTRIBUEM SIGNIFICATIVAMENTE PARA MELHORAR A DIRIGIBILIDADE DO VEÍCULO, PROPORCIONANDO:

 

Controle do movimento da suspensão.

Diminuição da distancia de frenagem.

Redução do desgaste dos pneus.

Diminuição do desgaste dos componentes da suspensão.

Conservação dos pneus em permanente contato com o solo.

Controle da movimentação das molas.

Sustentação do alinhamento das rodas.

Domínio da movimentação do veículo: rolagem, balanço, mergulho e subida na aceleração.

Redução da fadiga no motorista.

 

 

Analisando o funcionamento do automóvel como um todo, podemos afirmar sem dúvida alguma  os amortecedores são componentes essenciais para a dirigibilidade do veículo.

 

 

QUANDO DEVE SER FEITA A TROCA DE AMORTECEDORES?

 

O desgaste natural dos amortecedores, causado pelo uso, compromete dirigibilidade do veículo e acelera o desgaste de outros componentes da suspensão. Assim, não corra riscos desnecessários. Recomenda-se a troca dos amortecedores preventivamente antes de 40.000 quilômetros rodados.

 

MOLAS

 

A mola é o principal elemento elástico da suspensão e, a partir do momento da sua instalação, já está em trabalho, permanecendo acionada pelo peso da carroceria do veículo mais as cargas que ele estiver carregando. Ela absorve as irregularidades do terreno, controla a altura do veículo e atua sobre o alinhamento e equilíbrio da suspensão.

 

Como funciona?

 

Com o veículo em movimento, as oscilação da pista são absorvidas pela mola. Sendo assim, uma lombada causa o fechamento da mola enquanto um buraco provoca  sua abertura. No fechamento a mola irá absorver energia, que, ao ser liberada, será controlada pelo amortecedor, suavizando assim os movimentos de retorno da mola para a posição original.

Portanto, a mola é quem absorve grande parte dos movimentos recebidos pela suspensão. Dessa forma, se as molas não estiverem boas, as condições de conforto, estabilidade e segurança ficam seriamente comprometidas.-